terça-feira, 1 de julho de 2008

O Apito "Enferrujado"

Dei-me ao trabalho de ler o documento da Decisão Instrutória do processo chamado da "fruta", aqui no Publico , respeitante a Pinto da Costa e outros.
Não sou jurista, mas ao ler a peça pergunto-me como é possivel tentar levar alguém a Tribunal com "provas" daquelas?
Como é possivel aceitar a credibilidade de uma testemunha, que segundo este documento mente sem margem para dúvidas, conforme as provas obtidas?
Como é possivel andar a gastar dinheiro em processos que não têm, por força das provas obtidas, a minima credibilidade?
E como é possivel o Ministério Publico recorrer da decisão de arquivamento perante os fundamentos do acima citado despacho?
Bem mas eu, repito, não percebo nada de Direito!


4 comentários:

André A. Correia disse...

Nem tu compreendes nen ninguém... Só talvez a MJ Morgado e o LF Vieira...

Vais ver que ainda acusam o juíz de ser adepto do FCP!

Um abraço.

quinttarantino disse...

Não tem nada que saber ...
Se o Procurador-Geral da República ordenou que, em qualquer destes processos envolvendo o Futebol Clube do Porto, o Ministério Público, sempre que as teses da Procuradora Maria José Morgado não colham, recorre ... está tudo dito!

lusitano disse...

Caro André

Sem dúvidas, sem dúvidas...e se calhar também dizem que o juiz jantou com alguém do FCP!

Abraço

lusitano disse...

Caro Quinttarantino

Então a poderosa senhora pode lá enganar-se!

Era o que mais faltava...

Abraço